Terça-feira
18 de Junho de 2024 - 
Ética, respeito, seriedade e confiabilidade!

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba nossas noticias.
Nome:
Email:

FALE CONOSCO

+55 (11) 98411-6890+55 (11) 4965-0768

Previsão do tempo

Segunda-feira - São Paulo, SP

Máx
33ºC
Min
22ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Guarulhos, SP

Máx
33ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Festival de desinformação que circulou nas eleições poderia se chamar “É Tudo Mentira”

O festival de documentários “É Tudo Verdade”, evento tradicional no calendário cultural de São Paulo e do Rio de Janeiro, começa no próximo dia 13. Nas Eleições de 2022, o festival de desinformação que circulou nas redes sociais poderia ser batizado de “É Tudo Mentira”. Aproveitando este 1º de Abril, selecionamos algumas das fake news mais descabidas e recorrentes – todas já foram devidamente desmentidas pela Justiça Eleitoral. Veja a lista abaixo, com os respectivos esclarecimentos.O processo eleitoral é completamente seguro e auditável, como já foi comprovado por inúmeros testes públicos realizados por hackers convidados e pesquisadores de universidades como USP, Unicamp e Universidade Federal de Pernambuco, entre outras entidades especialistas no assunto. Às vezes é difícil de acreditar que, mesmo assim, ainda existem pessoas que caem em qualquer teoria de conspiração de internet.Como já comprovaram persos estudos, a mentira se espalha feito rastilho de pólvora, muito mais rápido do que a verdade. E costuma ter muito mais engajamento, infelizmente. Então, desmentir cada boato que circula na internet muitas vezes parece equivalente a enxugar gelo. Por isso, quem tem compromisso com a democracia pode ajudar nessa tarefa, pulgando os desmentidos da Justiça Eleitoral.Festival “É Tudo Mentira: as fake news mais descabidas e recorrentes das Eleições 2022”Mentira: Forças Armadas exigiram entrega do código-fonteVerdade: Código-fonte foi inspecionado pelas Forças ArmadasUma mensagem que circulou no WhatsApp afirmava que as Forças Armadas ameaçaram não aceitar o resultado das Eleições de 2022 caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não entregasse o código-fonte das urnas eletrônicas. Mas o código-fonte que dá os comandos para o sistema eletrônico de votação esteve aberto durante um ano para inspeção de todas as entidades legitimadas a fiscalizar o processo eleitoral, e as Forças Armadas examinaram as linhas de programação.Mentira: Urnas possuem dois códigos-fonte distintosVerdade: Só existe um código-fonteOutra mensagem sobre código-fonte que circulou na internet afirmava que as urnas eletrônicas possuíam dois códigos-fonte distintos e que os modelos anteriores do equipamento não teriam sido submetidos a auditorias. A suposta manipulação teria desequilibrado a disputa. Mas existe somente um código-fonte, que, depois de ser inspecionado por representantes de entidades fiscalizadoras e especialistas em tecnologia da informação durante o Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação (TPS), é assinado digitalmente e lacrado em cerimônia pública, procedimentos que impedem qualquer tentativa de manipulação.  Mentira: O processo eleitoral não é auditávelVerdade: O processo eleitoral é totalmente auditávelAo contrário do que foi espalhado em inúmeros conteúdos mentirosos durante as Eleições 2022 em várias mídias, o nosso sistema eletrônico é totalmente auditável. Os princípios que demonstram isso podem ser verificados no documento “Premissas estruturantes do processo eleitoral informatizado brasileiro”, elaborado pelo TSE. As urnas eletrônicas permitem a recontagem dos votos por meio dos Boletins de Urna.Mentira: Algumas seções eleitorais não tiveram os votos contabilizadosVerdade: Todas as seções tiveram os votos contabilizadosDiversos vídeos pulgados no TikTok e WhatsApp mostraram pessoas que alegam ter havido fraude na contabilização de votos em razão da ausência de informações no aplicativo Resultados sobre a seção eleitoral na qual votam. Em um deles, ao descrever o passo a passo da pesquisa pelo app, o eleitor, que mora em Miami, faz a busca pela seção 3345, que consta no título do eleitor como local onde deveria exercer o direito ao voto no dia da eleição.  No entanto, ele não informa que a seção que ele buscou foi agregada à seção principal 1346, que funcionou em Orlando. O mesmo ocorreu em outras cidades, como em Dores de Indaiá, em Minas Gerais.Mentira: É possível saber em quem as pessoas votaram pela internetVerdade: Não é possível consultar o voto de ninguém pela internetBoato pulgado nas redes sociais dizia que é possível saber em quem as pessoas votaram consultando em um sistema online por meio do CPF. Isso é inconstitucional, o voto é sigiloso e inviolável e ninguém, nem mesmo a Justiça Eleitoral, consegue saber em quem você votou.Mentira: Logs “descriptografados” das urnas revelam em quem a pessoa votouVerdade: Logs das urnas não revelam em quem a pessoa votouCirculou uma história nas redes sociais dizendo que os logs das urnas usadas nas Eleições 2022 foram “descriptografados” e revelaram nominalmente os votos. O log não registra informações pessoais nem revela em quem cada pessoa votou. Diversas instituições, além de qualquer pessoa, podem acessar os arquivos para auditoria.Mentira: Urnas recolhidas de prédio em São Paulo foram usadas nas Eleições 2022Verdade: Urnas recolhidas de prédio em São Paulo não foram usadas nas Eleições 2022O processo de retirada de urnas eletrônicas do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) foi pulgado em um vídeo na internet com insinuações de que a suposta apreensão teria sido motivada pelos questionamentos feitos ao funcionamento das versões mais antigas do aparelho. As urnas em questão eram do modelo 2009 e estavam sendo transportadas para o depósito do TSE, em Brasília, onde ficarão armazenadas até serem descartadas, seguindo todas as previsões legais.Mentira: Tela de mesário mostra voto duplicado para presidenteVerdade: Terminal do mesário não mostra o voto do eleitorVídeo gravado por uma mesária durante a votação em uma seção eleitoral do Acre mostra a tela do terminal do mesário e afirma que os números significariam que o eleitor votou duas vezes. Os números que aparecem na tela correspondem a dados do eleitorado da seção, como número de eleitores com biometria e a quantidade de pessoas que já votaram no local. No terminal do mesário não há nenhuma indicação de qual candidatura o eleitor escolhe.Mentira: Seções em que todos os votos foram para o mesmo candidato indicam fraudeVerdade: Não houve fraude em seções em que todos os votos foram para o mesmo candidatoDiversas fake news pulgadas nas redes afirmavam que houve fraude nas Eleições 2002 porque algumas seções registravam votos apenas para um candidato. Em um caso, vídeo de um cidadão mostra que, na seção eleitoral 158, localizada no município de Confresa, em Mato Grosso, todos os votos registrados no 2º turno foram para apenas um candidato. A seção fica em uma comunidade indígena, e é normal nessas localidades, assim como em quilombos, que um candidato receba todos os votos.Mentira: Hackers russos invadiram o sistema de totalizaçãoVerdade: Hackers russos não invadiram o sistema de totalizaçãoO boato, que também foi compartilhado em formato de áudio, dizia que hackers haviam invadido o sistema de totalização do TSE com o intuito de desviar votos entre candidatos à Presidência da República. O trabalho de processamento dos votos do eleitorado transcorreu dentro da normalidade, sem registro de nenhuma investida cibernética. Vale lembrar que a urna eletrônica não tem conexão com a internet e que a transmissão dos votos é feita por uma rede segura, de uso exclusivo da Justiça Eleitoral. Mais desmentidosVeja mais esclarecimentos sobre notícias falsas em Fato ou Boato. Também estão disponíveis desmentidos em áudio. A Justiça Eleitoral tem ainda um canal para registrar denúncias de desinformação, discurso de ódio e mensagens não solicitadas. O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) tem uma página com checagens relativas ao estado.imprensa@tre-sp.jus.brCurta nossa página no Facebook Siga nosso Twitter oficial trespjusbrSiga nosso Instagram @trespjusSiga nosso TikTok @trespjus
31/03/2023 (00:00)
Visitas no site:  623762
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia